People wearing face masks and self isolation due to COVID-19 social template

O que já mudou no varejo por causa da Covid-19

As práticas de isolamento social impulsionadas pelo avanço da Covid-19, a doença causada pelo novo Coronavírus, já alteraram o comportamento dos brasileiros. Essas mudanças são sentidas, principalmente, em negócios que dependem do contato com o público para movimentar as vendas, como o varejo, por exemplo. Neste artigo, elencamos algumas das principais mudanças causadas no varejo por causa da Covid-19.

Com mais tempo em casa e acesso mais restrito pelas ruas da cidade, saindo apenas quando extremamente necessário, os brasileiros precisaram se adaptar à nova rotina e, com isso, alterar suas formas de consumo.

Novos hábitos, novas necessidades

Laptop em cima de mesa

Descrição gerada automaticamente

Segundo pesquisa divulgada pela consultoria internacional Kantar, 80% dos brasileiros se dizem preocupados com a Covid-19, ou seja, tudo indica que essas pessoas estão tomando as precauções necessárias para evitar a disseminação da doença, como diminuir as saídas de casa o máximo que for possível.

Nesse novo cenário, as compras se concentram, principalmente, em produtos essenciais como alimentação e saúde, como mostra a pesquisa: 78% dos entrevistados estão saindo somente para o necessário, como ir ao mercado, farmácia, banco, etc.

A pesquisa também mostrou que 71% deixou de ir a shoppings, parques e de fazer outros passeios, o que também justifica a queda no faturamento do varejo.

Para muitas cidades brasileiras, março foi o mês em que o isolamento social passou não só a ser necessário, mas incentivado pelas prefeituras e governos estaduais.

Isso significa que as pessoas vão deixar de comprar totalmente de empresas que não oferecem produtos e serviços de necessidade básica? Não!

O que vamos perceber mais à diante é o comportamento de compra do consumidor que, agora, já está diferente. Ao invés de encarar a pandemia como uma grande barreira para os varejistas, precisamos compreender e saber como colocar em prática as oportunidades que a crise está gerando.

Aumento do uso de redes sociais

Muitas empresas liberaram os funcionários para trabalhar de casa e mesmo quem não está trabalhando está passando mais tempo no lar.

Dados da Opinion Box mostram que 60% dos brasileiros estão passando mais tempo na internet e 53% aumentaram o acesso nas redes sociais49% dos entrevistados aumentou o tempo no WhatsApp e 42% no YouTube.

Isso reforça a necessidade de oferecer canais distintos de comunicação ao consumidor já que não ir presencialmente à loja não significa que não haverá compra. Pelo contrário, nesse momento, os usuários intensificaram a compra em supermercados on-line (34%), farmácias on-line (28%) e pedidos de delivery (26%).

Já falamos aqui sobre como é importante para os varejistas terem uma presença digital forte. Mesmo que a maior parte das vendas da loja sejam presencialmente, já se fazia necessário antes da crise oferecer diversas possibilidades de compra ao cliente. Pense o quanto isso é necessário agora já que o consumidor realmente não pode ir até você.

Dica

Você precisa saber em qual rede social seu público-alvo está. Ele passa mais tempo no WhatsApp ou Instagram? Em qual dessas redes ele faz mais compras?

É fundamental saber a resposta para essas perguntas porque, agora, é pela internet que a maior parte das vendas vai acontecer.

Não espere a concorrência resolver antes de você o problema do seu cliente. Mostre que você se preocupa com as necessidades dele e que a distância não é um problema porque você vai onde ele estiver!

O que os varejistas podem fazer?

Ainda é cedo para dizer como a Covid-19 vai afetar o varejo e o mercado brasileiro como um todo. Mas o que podemos perceber é que essas mudanças já são sentidas em diversos segmentos, principalmente em setores que não são de necessidade básica, como varejo têxtil e calçadista, empresas de beleza e estética, entre outros.

Isso significa que as pessoas vão deixar de consumir esses produtos? Não, mas a frequência de compra será menor. A diferença é saber se comunicar e estar mais perto do consumidor final.

Mais do que isso: é saber o que seu cliente espera de você nesse momento.

Números da Opinion Box indicam que 25% dos brasileiros espera que as marcas sejam o exemplo e guiem a mudança durante a crise, e 21% quer que essas marcas sejam práticas, realistas e capazes de ajudar os consumidores no dia a dia.

Nada disso é segredo: já pensou em perguntar para seu cliente o que ele espera de você? Já que o consumidor não pode ir até sua loja, o que ele gostaria que fosse levado até ele?

Dica bônus

Homem de camisa branca

Descrição gerada automaticamente

Já pensou em entregar seus produtos com um brinde que pode ser muito útil para qualquer pessoa nesse momento?

Ao invés de entregar apenas o que você vende (um par de sapatos, por exemplo), que tal colocar um frasco individual de álcool gel e surpreender seu cliente? Isso mostra que sua empresa não está preocupada apenas em continuar vendendo, mas que você também está comprometido com a causa.

É possível enviar um bilhete junto com a compra pedindo que o cliente compartilhe nas redes sociais uma foto dele com o produto e com o brinde que você deu de presente. Pronto, você criou uma campanha feita exclusivamente pelos seus próprios clientes e ninguém precisou sair de casa para fazer isso!

Quer saber mais sobre a transformação digital no varejo e como ela pode ajudar sua empresa durante a crise? Clique aqui!

Compartilhe:

2 Responses

Add a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *